fbpx

Twitter e Facebook perdem juntos cerca $ 51 bilhões



As empresas Big Techs Facebook e Twitte  viram, juntas, $51,2 bilhões em valor de mercado combinado serem eliminados em suas duas últimas sessões de negociação.

A perda foi resultado das ações de censura ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, na semana passada.

As empresas de tecnologia e os políticos democratas alegaram que Trump incitou a violência no Capitólio dos EUA no dia 06 de janeiro, durante a sessão conjunta de certificação eleitoral.

Donald Trump publicou em seu perfil no Twitter, logo após o início da invasão do Capitólio, um vídeo em que pediu aos manifestantes que “voltassem para casa em paz”. Ele denunciou a violência como um “ataque hediondo” que “contaminou a sede da democracia americana” em 7 de janeiro. Não está claro quem instigou o rompimento do prédio.

Na semana passada, o Twitter primeiro impôs restrições a um vídeo que o presidente postou, antes de suspender temporariamente sua conta, uma ação seguida de perto pelo Facebook. Dois dias depois, o pássaro vermelho suspendeu permanentemente a conta de Trump, alegando que duas postagens do mandatário norte-americano haviam violado suas políticas.

Um grande número de contas pró-Trump também foi excluído pelo Twitter e Facebook.

Segundo o Jornal Market Business Insider, o Facebook perdeu US $ 47,6 bilhões de sua avaliação pública, enquanto o valor de mercado do Twitter caiu US $ 3,5 bilhões.

“O Facebook caiu 4% na segunda-feira e outros 2,2% na terça-feira, com os acionistas se desfazendo das ações, provavelmente temendo que a proibição pudesse tirar os usuários da plataforma. Quando os mercados fecharam na terça-feira, a capitalização de mercado do Facebook estava US $ 47,6 bilhões abaixo do nível de sexta-feira”, explicou o jornal.

Já o “Twitter despencou 6,4% no início da semana e caiu outros 2,4% enquanto a liquidação continuava no fechamento de terça-feira. As quedas viram a capitalização de mercado do Twitter cair em US $ 3,5 bilhões”, completou.

Ontem (12), Trump declarou que os atos de censura das empresas poderiam ser catastróficos para elas.

“Acho que a grande tecnologia está fazendo uma coisa horrível por nosso país e por nosso país. E acredito que será um erro catastrófico para eles”, disse.

“Grande erro. Eles não deveriam estar fazendo isso. Mas sempre há um movimento contrário quando eles fazem isso.”

“Temos um apoio tremendo”, completou o presidente norte-americano.

Nesta quarta-feira (13) o CEO do Twitter, Jack Dorsey, disse que censura o presidente abriu precedentes perigosos, mas que foi a “decisão certa”.

Dorsey disse que não comemoraria e nem sente orgulho de ter banido a conta de Trump, mas que a decisão foi tomada com base nas “melhores informações que tinham sobre ameaças à segurança física dentro e fora do Twitter.

“Isso estava correto?”, questionou o CEO do Twitter. “Acredito que essa foi a decisão certa para o Twitter. Enfrentamos uma circunstância extraordinária e insustentável, que nos obrigou a focar todas as nossas ações na segurança pública”, afirmou.

A declaração pode ter sido uma medida para ‘amenizar’ os impactos econômicos que a rede social sofreu.

Colunistas

Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: