fbpx

YouTube ainda desobedece justiça ao devolver canais do TLTV com bloqueios



O YouTube devolveu parcialmente nesta segunda-feira (1°) os dois canais do Terça Livre TV, porém a função que permite a transmissão dos programas ao vivo não foi reabilitada, como essa é a principal atividade do canal, na prática, ainda estamos censurados.

Os bloqueios na devolução evidenciam, mais uma vez, o desafio e desobediência da Big Tech à Justiça brasileira, pois a liminar do Tribunal de Justiça determinava a devolução dos canais com todas as suas ferramentas.

Conforme noticiamos, no dia 3 de fevereiro os canais Terça Livre TV e Terça Livre Live haviam sido removidos da plataforma.

Já no dia 15 de fevereiro os advogados do TLTV protocolaram na sede da Google, em São Paulo, uma intimação onde um desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) determinava a devolução integral dos canais e serviços no YouTube, o que não aconteceu.

Além de determinar novamente a devolução dos canais no dia 19 fevereiro, o TJ-SP dobrou a multa de R$ 5 mil para R$ 10 mil por cada dia de desobediência da liminar.

Um dos canais do Terça Livre voltou nesta segunda-feira com uma nova notificação de Strike, uma punição do YouTube aos canais que supostamente “violam” suas diretrizes, além disso, outras funções como Streaming ainda não foram reestabelecidas à conta do Terça Livre na plataforma.

Até o momento a Big Tech ainda não informou quais foram as violações que motivaram o cancelamento do jornal.

O Terça Livre aguarda agora a devolução integral dos canais.

Assista os nossos Boletins no Facebook e no Instagram.

Sobre o Colunista

Bruna Lima

Comente

Clique aqui para comentar

Colunistas

avatar for Juliana GurgelJuliana Gurgel

Católica, produtora, doutora em artes da cena, professora e aikidoista.

avatar for Paulo FernandoPaulo Fernando

Advogado, professor de Direito Constitucional e Eleitoral para concu...

avatar for Polibio BragaPolibio Braga

Políbio Braga é um jornalista e escritor brasileiro. Nascido em S...

Achou algum erro na matéria? Nos informe através do formulário abaixo: